Para as mamães

Aleitamento materno, o outro lado da moeda.

Talyta nasceu de uma cesárea não programada… Bem, se passaram um dia, dois, três dias e nada do leite descer…

Fiquei  preocupada, pois Talyta chorava demais no meu peito e não descobriram a causa do colostro ainda não ter descido, apesar de ser normal por ser parto cesário (até 72hs) e então fiquei no hospital esperando a produção de leite. Enquanto isto, alimentavam minha filha com complemento artificial… Quando o leite artificial chegava, eles faziam a relactação.

super3-290x290

O que é?

 A relactação é uma técnica que consiste na ingestão de leite artificial pelo bebê que se encontra colocado no peito da mãe como se fosse mamar, através de uma sonda.

A técnica de relactação, além de alimentar o bebê, estimula a produção de leite materno, sendo especialmente importante em casos de bebês prematuros e que estiveram internados por algum tempo ou em mães que não têm ou produzem pouco leite.

Então a Talyta estava sempre em contato com o meu seio e sugava muito bem!!! Meus seios feriram, racharam, saía sangue durante a relactação e em outros momentos da amamentação, pois eu a colocava no seio para sugar e estimular a produção de leite nos intervalos do complemento.

O colostro em fim desceu no quarto dia trazendo com ele um alívio enorme ao meu coração e eu acreditei que a partir de então os problemas haviam acabado. Minha bebê foi amamentando no seio toda a hora e eu achava super normal e adorando tudo aquilo, apesar da dor que era por causa das fissuras… Então, saímos do hospital no 5º dia pelo fim da tarde!!!! \o/

Uma semana em casa, minha filha chorava no peito, sugava bastante e ainda sim ficava aborrecida. Percebi que nestes dias os meus seios não enchiam o suficiente para satisfazê-la, por mais que a minha alimentação fosse ótima e a ingestão de líquido era muito boa. Fui ao pediatra e o mesmo achou que eu não queria amamentar minha filha por causa das rachaduras e machucados. Falei para ele da minha frustração em não conseguir amamentar meu primeiro filho (a história estava se repetindo) e  que era meu sonho conseguir fazer isso por minha filha. Ele me mandou de volta para casa e pediu que insistisse mais com a amamentação, fizesse massagens e bebesse bastante líquido para que tudo se normalizasse. Assim fiz…

Percebi que Talyta perdia peso…Fui novamente ao pediatra depois de 15 dias e para minha surpresa ela havia perdido 1,5kg!!!! Desabei a chorar, pois o meu mundo havia caído ali, naquele momento… Logo me veio à cabeça o pensamento de afirmação: “Você não é capaz de alimentar sua filha!!!!”

Então nervosa e esgotada, falei que iria dá o leite artificial que receitaram para a Talyta na saída da maternidade como complemento do leite materno. Ahhh… Mesmo assim quiseram tirar a prova dos nove, massagearam meus seios com vigor (ISSO FOI DOLOROSO DEMAIS :* ) e fizeram a ordenha. Para desapontamento deles, conseguiram tirar apenas 10 ml de leite, depois de quase uma hora tentando. Tiveram que admitir que verdadeiramente eu não produzia leite o suficiente para nutrição da minha filha. Liberaram o leite artificial como complemento das mamadas e fui orientada a pesá-la uma vez por semana para acompanhar a progressão do peso. E por fim, não diagnosticaram o porquê da minha baixa produção ou falta de leite nas mamas…

O que me doeu mais, foi a falta de informação e desumanidade desses profissionais. Desde o início poderia se notar que algo era diferente pelo histórico do meu primeiro filho a perda de peso acentuada nos primeiros dias de vida da Talyta, em fim… Saí do consultório mais uma vez triste e acabada por dentro. Na volta para casa, o pensamento de ser uma mãe inferior às outras rodeava a minha cabeça… Ôooo estrada longa para casa.

Cheguei em casa e imediatamente providenciei uma super mamadeira de leite artificial para minha filha e quando vi que ela se alimentava, aquela sensação de incompetência caiu por terra, percebi que não sou menos mãe por causa da incapacidade de amamentar meus filhos.

11998973_944774705579134_5374749284395077776_n

Então mãezinhas, não se sintam assim em momento algum!!!! Ser mãe é vê seus filhos bem e fazer de tudo para que isto aconteça.

Deixo uma imagem da minha filhota linda!!! ❤

C360_2015-11-16-18-00-58-462

Abraços para todas!!!

 

 

Anúncios

Um comentário em “Aleitamento materno, o outro lado da moeda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s